Policlínica recebe posto de coleta do Hemoce e arrecada 128 bolsas de sangue

Com a Pandemia de Coronavírus, o Hemoce registrou uma baixa de 15,6% nas doações de sangue entre março e julho de 2020, se comparado ao mesmo período referente ao ano de 2019. Para manter as doações, o Hemocentro ampliou seus pontos de coleta. Um dos locais contemplados com a campanha “Hemoce Perto de Você” foi a Policlínica Dra. Márcia Moreira de Meneses. Essa parceria entre as duas instituições já acontece há alguns anos, e desta vez arrecadou 128 bolsas de sangue, durante esta quinta-feira, 30, dia escolhido para a visita do Hemoce na Poli.

Foram mais de 170 candidatos à doação, entre colaboradores e usuários. A mobilização arrecadou ainda cinco doações de medula. Os avisos e convites nas redes sociais do Consórcio Público de Saúde da Região de Cascavel, chamando a população para participar da doação, começaram pelo menos há um mês atrás, com posts informativos e educativos. Através dessas postagens, dúvidas comuns como “quem pode doar” e “o que precisa para ser um doador” foram esclarecidas, bem como novos questionamentos referentes as doações de sangue por pessoas que tiveram a Covid-19 e profissionais de saúde diretamente em contato com o vírus. Quanto mais dúvidas esclarecidas, mais pessoas aptas e dispostas a doarem, prova disso, foi o alto número de bolsas coletadas.

A Dra. Natália Eleutério, diretora geral da Policlínica, agradeceu a contribuição de cada pessoa envolvida e reforçou o convite para uma próxima campanha. “Já aguardamos a participação de todos na próxima, pois essa parceria entre Poli e Hemoce se fortalece a cada dia”, frisou. Para a diretora, foi uma grata surpresa o número de doações. “Mesmo com o período de Pandemia, os cidadãos da região e colaboradores deram um espetáculo de solidariedade fazendo estas doações de sangue. Doar é um ato de suma importância para dar vida a outras pessoas”, complementou. Cada bolsa de sangue arrecada, de acordo com o Hemoce, pode ajudar pelo menos quatro pessoas.

Uma das colaboradoras que fizeram questão de realizar este ato de solidariedade, foi a fonoaudióloga da Policlínica, Graziele Félix. “Fazer o bem ao próximo é uma coisa que eu sempre tento na medida do possível, e fazer algo que possa salvar vidas me deixa muito feliz”, contou. Graziele é doadora desde 2015 e se orgulha de poder salvar vidas através desse gesto simples, mas cheio de importância. “Ser doador é fundamental, especialmente nesse período de pandemia, pois as doações diminuíram, por isso incetivo a todos a praticarem essa ação de solidariedade e amor”, reforçou a fonoaudióloga, que serve de bom exemplo para muitos.

PARA SER DOADOR DE SANGUE É PRECISO:
– Estar saudável
– Estar bem alimentado (evitar alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação)
– Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas).
– Pesar acima de 50kg
– Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos
– apresentar documento de identificação com foto, emitido por órgão oficial, sendo aceita fotocópia autenticada do documento, desde que as fotos e inscrições estejam legíveis e as imagens permitam a identificação do portador.